Quarta, 12 de Junho de 2024
°

Cultura CINEMA PÚBLICO

Primeira edição do projeto Olympia na Rua é aprovada pelo público

A primeira edição da mostra de cinema a céu aberto "Olympia na Rua" foi realizada na rua Arcipreste Manoel Teodoro, ao lado do Cinema Olympia

10/06/2024 às 17h46
Por: REDAÇÃO 2 Fonte: Agência Belém
Compartilhe:
Primeira edição do Olympia na Rua atraiu muita gente para a exibição de quatro curtas-metragens regionais. Foto: Divulgação
Primeira edição do Olympia na Rua atraiu muita gente para a exibição de quatro curtas-metragens regionais. Foto: Divulgação

O cenário cultural e a memória afetiva da cidade foram marcados pela primeira edição do projeto Olympia na Rua que, apesar da chuva forte que caiu sobre a cidade na noite deste domingo,9, reuniu públicos de vários bairros , artistas e amantes do cinema para a exibição de quatro curtas-metragens de criadores e cineastas de Belém.

A primeira edição da mostra de cinema a céu aberto "Olympia na Rua" foi realizada na rua  Arcipreste Manoel Teodoro, ao lado do Cinema Olympia, com curadoria  do presidente da Associação de Críticos de Cinema do Pará (ACCPA), Marco Antônio Moreira. Durante a mostra, o público pôde conferir a exibição dos curtas-metragens  "Brinquedo Perdido" (1962), de Pedro Veriano; "Onda: Festa da Pororoca" (2005) e “O Rapto do Peixe-Boi”, de Cássio Tavernard ; "Cadê O Verde Que Estava Aqui" (2011), de Biratan Porto.

O evento faz parte do projeto de requalificação do Cine Olympia, que é gerido pelo Instituto Pedra em parceria com a Prefeitura de Belém, por meio da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), com apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan); patrocínio master do Instituto Cultural Vale e copatrocínio do Banco da Amazônia, além de ter sido selecionado pelo edital Resgatando a História, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A estudante universitária Karina Carvalho, 25 ,do bairro do Jurunas, não perdeu a oportunidade de marcar presença na primeira edição do Olympia na Rua e trouxe a sobrinha de cinco anos de idade, Liz Carvalho."Eu achei muito bacana essa iniciativa de não deixar o cinema morrer, mesmo com o Cine Olympia em reforma. Gostei muito dos curtas.Me trouxe muita nostalgia porque assistia no colégio, por isso trouxe minha sobrinha", disse Karina.

A estudante de comunicação social, Clara Jaques de Almeida, 27, veio diretamente de Ananindeua para prestigiar o evento. Ela conta que o Cinema Olympia foi o primeiro que frequentou quando criança, e agora acompanha com entusiasmo a reinauguração do cinema histórico. "Achei muito legal de democratizar o cinema, essa arte tão importante para todos nós. Uma iniciativa muito boa pra fomentar o cinema aqui na região. Enquanto isso estou esperando ansiosamente pela inauguração do Cine Olympia", afirmou.

Para a artista paraense Aíla, o projeto deixa o cinema mais próximo da comunidade. "Eu fico muito feliz de ver o Cinema Olympia sendo restaurado pra a inauguração ano que vem, um ano importante pra Belém. O cinema tem valor simbólico e emocional pra muitas pessoas da cidade. Fico feliz que essa pré-estreia seja na rua e com diretores e diretoras amazônicos. É muito legal ver a região Norte e o Pará produzir  audiovisual com essa potência", declarou a cantora.

Ao dar boas-vindas ao público presente, o prefeito Edmilson Rodrigues relembrou o período que Belém, no final da década de 90 e início dos anos 2000, já vivenciava uma espécie de cinema na rua com o projeto TV de Rua. “ Apesar de ter o nome de TV , era quase um cinema de rua porque a equipe responsável reunia com a comunidade pra produzir pequenos curtas-metragens de 5 a 8 minutos sobre a história dos bairros, incluindo entrevistas com os moradores mais antigos e com os artistas do bairro. Então, era uma coisa muito bonita a TV de Rua", contou o prefeito de Belém, momentos antes da primeira sessão.

Reforma e exibição de filmes

A iniciativa contará com dez sessões gratuitas ao longo dos meses (com exibição uma vez ao mês) em que o cinema Olympia estará fechado para obras e será uma forma da população matar a saudade e manter viva a tradição do cinema público.O projeto de requalificação inclui a restauração e modernização tecnológica do espaço, medidas de acessibilidade, plano de manutenção, gestão e programação cultural, visitas monitoradas e a produção de um videodocumentário sobre a história do cinema Olympia.

"Estamos com um trabalho bem minucioso para que o cinema seja modernizado, mas não descaracterizado. Nós estamos fazendo o possível para que a obra caminhe de forma lenta, mas consistente. Já retiramos todas as cadeiras, porque vamos colocar móveis mais confortáveis e agora começamos o trabalho da cobertura e telhado. Estamos tentando fazer com que o cinema se modernize mas que o nosso afeto continue",  explica a arquiteta do Instituto Pedra, Beth Almeida.

Parcerias e Apoios

A requalificação do cinema Olympia é gerida pelo Instituto Pedra, em parceria com a Prefeitura de Belém, por meio da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel) e com apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O projeto conta com patrocínio master do Instituto Cultural Vale e copatrocínio do Banco da Amazônia, além de ter sido selecionado pelo edital Resgatando a História, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Histórico

O Cine Olympia foi inaugurado em abril de 1912, época do cinema mudo, em que Belém vivia o apogeu do ciclo da borracha. O  Olympia atravessou vários períodos da história cinematográfica nacional e internacional. Com a decadência das grandes salas de cinema nas grandes cidades, em 2006 o grupo proprietário do Olympia anunciou que o fecharia. A classe artística local se mobilizou e o cinema foi adquirido pela Prefeitura de Belém. 

 

Texto:

Joyce Assunção

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias