Quarta, 12 de Junho de 2024
27°

Tempo limpo

Belém, PA

Saúde DIA D

Meta da Prefeitura de Belém é vacinar mais de 76 mil crianças contra a poliomielite

De acordo com a Sesma, 1.820 profissionais de saúde estiveram envolvidos neste evento

10/06/2024 às 08h50
Por: REDAÇÃO 2 Fonte: Agência Belém
Compartilhe:
"A saúde do meu filho é tudo. Então, aproveitei a oportunidade e trouxe ele pra vacinar", disse o autônomo Mailson Pinto, 35 anos, pai do Miguel , de 4 anos.
"A saúde do meu filho é tudo. Então, aproveitei a oportunidade e trouxe ele pra vacinar", disse o autônomo Mailson Pinto, 35 anos, pai do Miguel , de 4 anos.

A Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), realizou, nesta sábado, 8, o Dia D de vacinação contra a poliomielite. A ação faz parte de uma mobilização nacional, que tem como objetivo aumentar a cobertura vacinal para garantir proteção contra a doença grave.

O prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, acompanhado do secretário municipal de Saúde (Sesma), Pedro Anaisse, e da coordenadora de Imunizações da Sesma, Nazaré Athayde, esteve na Casa de Saúde da Família da Condor, para o início da ação na cidade.

"Hoje é um dia muito importante, porque é uma campanha nacional de vacinação contra a poliomielite, de modo que todas as crianças devem ser vacinadas. Todos os pais e mães, movidos pelo amor às suas crianças, devem assumir a responsabilidade e procurar os postos de vacinação. É um verdadeiro exército do amor e da vida, quase duas mil pessoas dedicadas à vacinação do seu filho", ressaltou o prefeito Edmilson Rodrigues.

Postos de Vacinação

De acordo com a Sesma, 1.820 profissionais de saúde estiveram envolvidos neste evento. Belém se preparou para atender a população em todos os seus 72 bairros, com cerca de 175 postos de vacinação instalados. Além disso, em pontos estratégicos, como os shoppings Pátio Belém e Grão Pará, a vacinação ocorreu das 10h às 17h, oferecendo mais oportunidades para os pais levarem seus filhos.

Na Aldeia Cabana, uma unidade móvel ficou disponível até 14h, facilitando o acesso à vacinação para a comunidade local. E a Unidade Básica de Saúde Fluvial (UBSF) Doutor Camillo Vianna levou a dose de proteção para as crianças moradoras das regiões das ilhas de Belém, demonstrando compromisso com a acessibilidade.

Proteção 

Muitos pais e mães aproveitaram o sábado para levar ao posto de vacinação para garantir a saúde e o bem-estar dos filhos. A autônoma Regiane Souza Cruz, 42 anos, ressalta que vacina é muito importante para a saúde das crianças. "As vacinas precisam estar em dia para garantir a vida saudável dos nossos filhos", disse.

"A saúde do meu filho é tudo. Então, aproveitei a oportunidade e trouxe ele pra vacinar. Tem que manter a saúde em dia com a vacinação", contou o utônomo Mailson Pinto, 35 anos, pai do Miguel Cardoso Pinto, 4 anos.

Já a dona de casa Sara Pereira, 34 anos, aproveitou o sábado para levar o filho Leônidas Luz da Silva, de um ano e três meses, para ser vacinado contra poliomielite. "Eu acho importante trazer meu filho para vacinar. Porque assim a gente cuida e previne contra doenças. Quero deixar ele sempre seguro com saúde para crescer saudável. E a vacina proporciona isso: a proteção da saúde dele", contou Sara.

Meta da Campanha

A meta da campanha de vacinação contra a poliomielite em Belém é vacinar 76.344 crianças menores de 5 anos de idade. Até o momento, foram aplicadas 21.930 doses, o que corresponde a uma cobertura de 28,72%. O Dia D busca intensificar essa cobertura e alcançar um número ainda maior de crianças.

Público-Alvo

Contra a poliomielite devem ser vacinadas crianças menores de 5 anos de idade (até 4 anos, 11 meses e 29 dias), nas seguintes condições: Crianças menores de 1 ano de idade deverão ser vacinadas conforme a situação vacinal encontrada para o esquema primário; crianças de 1 a 4 anos deverão ser vacinadas indiscriminadamente com a Vacina Oral Poliomielite (VOP), desde que já tenham recebido as três doses de Vacina Inativada Poliomielite (VIP) do esquema básico.

Documentação

Para vacinar é importante apresentar a carteirinha de vacinação da criança.

A coordenadora de Imunizações da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS- OMS), Lely Guzman, esteve na unidade de saúde da Condor e afirmou que é importante manter essa oportunidade com a vacinação. "Porque ainda no mundo temos dois países que não eliminaram a doença: o Afeganistão e o Paquistão. E pelo movimento turístico, migratório, econômico e social podemos ter um risco de que esse vírus chegue até a nossa região. E, assim, colocando as vacinas para as nossas crianças estaremos protegendo eles. Esta oportunidade é dar acesso àqueles que ainda nao foram vacinados", informou.

Texto:

Joyce Assunção

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias