Quarta, 12 de Junho de 2024
31°

Tempo limpo

Belém, PA

Educação PREVENÇÃO E PROTEÇÃO

Aplicativo Guardiões amplia monitoramento sobre violências nas escolas municipais

O “Guardiões” está presente em todas as atuais 199 escolas, sob a coordenação dos gestores

23/05/2024 às 13h29
Por: REDAÇÃO 2 Fonte: Agência Belém
Compartilhe:
A secretária de Educação, Araceli Lemos, ressalta que o aplicativo potencializa o trabalho da gestão, pois atua nas várias dimensões da comunidade escolar
A secretária de Educação, Araceli Lemos, ressalta que o aplicativo potencializa o trabalho da gestão, pois atua nas várias dimensões da comunidade escolar

No início, em 2021, o aplicativo foi batizado de “Guardiões da Saúde” para monitorar, à época, casos suspeitos de covid -19. A ideia era ampliar a rede de vigilância à saúde entre estudantes e profissionais da educação das escolas da rede pública de Belém. Atualmente, o leque de funções desta ferramenta tecnológica expandiu potencializando as medidas de prevenção e proteção no ambiente escolar. É mais um instrumento em defesa e cuidado dos estudantes da rede municipal.

Instituído pela Prefeitura de Belém, por meio da Coordenação Integrada de Educação e Saúde (Cines), vinculada à Secretaria Municipal de Educação (Semec), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) e a Universidade Federal do Pará (UFPA), o aplicativo teve êxito, visto que nenhuma escola do município fechou por causa de transmissão da doença. A partir desse resultado, foi atestada a possibilidade de ampliar o raio de ação do aplicativo para outros agravos delicados, atribuindo a ele outras funcionalidades, dentre as quais a notificação de casos de violência na comunidade escolar, uso de álcool e outras drogas, problemas de audição e visão, e outras questões, como gravidez, união conjugal na adolescência e atualização do calendário vacinal.

Aplicativo – O “Guardiões” está presente em todas as atuais 199 escolas, sob a coordenação dos gestores. Ele tem na base de dados as informações pessoais dos profissionais e estudantes matriculados na rede municipal, além de um questionário epidemiológico com linguagem acessível, que após preenchido é encaminhado para a Cines.

“A atuação intersetorial, articulando políticas públicas de educação possibilita à Semec ter uma ferramenta tecnológica na rede municipal de ensino gerando dados reais para planejamento, intervenção, monitoramento e avaliação de resultados”, explica a coordenadora do Cines, Camila Malcher

Para a secretária municipal de Educação, Araceli Lemos, o aplicativo potencializa o trabalho da gestão de forma integral e integrada, pois atua nas várias dimensões da comunidade escolar, associando o trabalho de várias pastas da Prefeitura de Belém, como as da Educação e Saúde. “Com a ampliação do alcance do aplicativo, as dimensões física, psicológica e social dos estudantes e dos servidores da rede municipal de Educação serão alcançadas, gerando informações fundamentais para a execução de políticas públicas”, pontua a titular da Semec.

Guia nas escolas

Na semana passada, o Ministério Público do Pará (MPPA), por meio do Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude (CAOIJ), em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA) lançou o guia “Violência sexual contra crianças e adolescente – uma discussão no espaço escolar” para auxiliar professores a identificar e notificar os casos de violência. Foi durante o seminário Violência Sexual contra crianças e adolescentes: um problema de todos!”.

“É um documento que representa mais um avanço na Educação, pois este guia compôs o nosso protocolo de atendimento de violência sexual na educação”, ressalta Camila Malcher.

“Precisamos fazer o combate permanente de qualquer forma de violência nas escolas. Para isso é preciso envolver toda rede municipal de ensino, parceiros e aliados na luta”, completa Araceli Lemos.

 

Texto:

Silvia Sales

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias